Saiba como é feito o descarte de material radioativo

Gerenciar materiais radioativos não é uma tarefa fácil. É necessário cuidados especiais, principalmente por se tratar de algo perigoso para a saúde das pessoas e o meio ambiente. 

E quando diz respeito ao descarte, então é preciso realizar os procedimentos de forma correta e de acordo com a lei.

Continue lendo e saiba como é feito o descarte de materiais radioativos!

Quais são os materiais radioativos que devem ser descartados conforme as regras?

Fontes radioativas e rejeitos radioativos são formados por elementos químicos radiativos que não possuem mais propósito prático ou utilização, que estão presentes em alguns ambientes de trabalho e que acabam pondo em risco quem está exposto a eles. 

No Offshore, o risco é ainda maior por se tratar de um ambiente isolado, cercado por água e onde o acesso ou a saída não são tão simples, por isso o cuidado deve ser redobrado. Os materiais radioativos mais comuns presentes no Offshore são os rejeitos NORM/TENORM.

Como realizar o descarte de fontes radioativas?

É preciso seguir alguns passos pré definidos pela CNEN para realizar este descarte, dos quais citamos abaixo:

1. Retirar o equipamento da planta de produção

O seu equipamento está obsoleto ou danificado? O primeiro passo deve ser retirá-lo da área em que ele era utilizado e armazená-lo em um bunker. Ele deve ser removido da operação imediatamente para que sejam evitados danos ao patrimônio pessoal e ao meio ambiente.

Esse equipamento deve ficar armazenado no bunker apenas pelo tempo necessário para que toda a parte burocrática junto a CNEN seja providenciada para o descarte.

2. Comunicar o pedido de descarte do material na base da CNEN mais próxima e dar entrada no pedido de descarte

É preciso realizar o pedido de orçamento para descarte do material em um dos postos da CNEN mais próximos à você. 

Após estar com o orçamento aprovado, você deve abrir um protocolo de descarte no portal CNEN (RTR), anexando o documento de aceite para o descarte já assinado e acompanhar os trâmites até seu deferimento.

3. Agendar o descarte, providenciar o acondicionamento e transporte de material e dar baixa em seu inventário

Após toda a documentação estar devidamente aprovada, você deve agendar o dia e a hora para a entrega do material na base da CNEN onde fez o pedido.

O material precisa ser acondicionado de forma adequada em embalagens preparadas para isso. Em seguida, você precisa providenciar um transporte apropriado, legalizado, licenciado e credenciado para levar o material até o ponto final de destinação concedido pela CNEN, que deve incluir toda a documentação obrigatória para o transporte.

Assim que ele for entregue à CNEN, você precisa realizar a baixa dessa fonte, material ou equipamento radioativo em seu inventário de fontes.

Como realizar o descarte de rejeitos radioativos do Offshore?

Os rejeitos precisam ser separados de acordo com as formas físicas (sólido, líquido e gasoso) e acondicionados em recipientes apropriados, como tambores metálicos, bombonas plásticas ou outro tipo de contentor. 

Também precisam ser analisados, rotulados e tudo isso precisa ser posto em um local seguro, dentro do que a legislação da CNEN e o IBAMA exigem.

Esse local precisa ter acompanhamento constante, vigilância 24 horas por dia e uma série de outras exigências para garantir que o material NORM/TENORM não cause danos à nenhum indivíduo, não contamine o patrimônio do contratante e nem cause nenhum mal ao meio ambiente. 

Se o material vazar e infiltrar no solo, pode chegar a um lençol freático e contaminar o abastecimento de água de uma cidade inteira!

E para ajudar nesse processo, existem empresas que realizam o serviço de gerenciamento de materiais radioativos e o direcionam para destinos finais, em locais seguros e prontos para recebê-los.

Também existem empresas que disponibilizam o serviço de todo o gerenciamento e armazenamento de rejeitos NORM/TENORM, de forma segura e dentro das normas. 

Também fornecem toda a logística, como o entamboramento, o transporte e mão de obra apropriada. 

É necessário ser altamente especializado em Radioproteção para lidar com esse tipo de material! É importante também realizar uma Inspeção Regulatória para eliminação de Não Conformidades!

Quais são os principais erros ao realizar o descarte de fontes radioativas?

É comum a ocorrência de o equipamento fora de uso ser mantido no bunker da empresa por muito tempo. Como ele não está mais dando lucro ou funcionando como deveria, acaba sendo esquecido por diversas razões, como:

  1. Por ser um processo muito trabalhoso, principalmente a parte burocrática, por isso o material ou equipamento acaba sendo deixado de lado e substituído por um novo;
  2. Pela falta de conhecimento do profissional que lidará com esses rejeitos radioativos;
  3. Pela falta de capacidade das empresas realizarem o transporte por conta própria. É necessário ter um plano de transporte aprovado pela CNEN, bem como cumprir uma série de outras legislações relativas à movimentação da carga pelas rodovias.

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes ocorram, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição.

Se você quer evitar todos os efeitos da radiação ionizante no ambiente de trabalho, então precisa de um Serviço de Radioproteção bem preparado e um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente.

Quando você trabalha em uma indústria que utiliza fontes radioativas em seus processos, é necessário que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada, de acordo com as normas da CNEN.

Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, for gerada muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Radioproteção por conta própria.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.

cta-ebook
Quer saber um pouco mais sobre a Radioproteção? Baixe nosso E-book gratuito!

E não esqueça de se cadastrar na nossa newsletter. Seja um especialista no assunto!

FONTES:

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país