Qual o limite aceitável de rejeitos radioativos NORM/TENORM no Offshore?

Materiais radioativos NORM/TENORM presentes no Offshore não necessariamente representam riscos à saúde de quem está embarcado, desde que estejam dentro do limite aceitável de exposição estabelecido pela CNEN.

Mas qual seria este limite tolerável?  Se você trabalha embarcado e tem curiosidade em saber, continue lendo este post e descubra!

Você sabe o que é NORM/TENORM?

Para que seja possível entender como este material acaba se acumulando em ativos Offshore, é importante definir o que ele é. 

Entenda que o solo, a água e praticamente todas as rochas do planeta contêm quantidades de materiais radioativos, como Urânio (U), Tório (Th), Rádio (Ra), Radioisótopos de Potássio (K), Chumbo (Pb), Polônio (Po) e outros. 

Entretanto, são concentrações pequenas e inofensivas para o ser humano. É o que chamamos de material radioativo de ocorrência natural, ou NORM (a sigla vem de Naturally Occurring Radioactive Materials).

Quando estes materiais são manuseados, concentrados e tecnicamente modificados por atividades como a de extração de óleo em campos marítimos, os níveis de radionuclídeos ou potencial de exposição aumentam e tornam-se TENORM (Technologically Enhanced Naturally Occurring Radioactive Materials).

A principal diferença entre o NORM e o TENORM está nos níveis de radiação aos quais eles expõem as pessoas. Como já dissemos, o NORM, por ser encontrado de maneira dispersa na natureza, não apresenta grandes riscos ao ser humano. Já o TENORM, por se tratar de NORM concentrado, apresenta maior perigo a quem for exposto a ele.

Como o NORM/TENORM se acumula no Offshore?

Durante a fase de perfuração de uma plataforma Offshore, o campo que está sendo explorado já conta com a presença de material NORM. Assim que o processo de extração do óleo prossegue, o material que está diluído nele, acaba “subindo” junto através de vasos, linhas e tubulações.

A medida em que o material vai se acumulando na plataforma, apresenta mais riscos de contaminação. As borras e incrustações presentes em tanques de carga contém NORM/TENORM. 

Após algum tempo, quando ocorre a redução da pressão no reservatório, é necessário injetar água (ou gás) para que a produção possa seguir. Desta forma, ocorre a dissolução acelerada dos sais que possuem materiais radioativos presentes na rocha e no óleo. Assim, ainda mais material NORM/TENORM se acumula na planta de produção.

Após anos em operação, o acúmulo de TENORM pode ser gigantesco, caso a limpeza e a descontaminação periódica do ativo Offshore não seja feita!

Qual é o limite aceitável para o acúmulo de rejeitos radioativos NORM/TENORM no Offshore?

A NR-37 é a norma regulamentadora dedicada ao Offshore, responsável por definir os requisitos de segurança, saúde e convívio em ativos Offshore brasileiros. Ela possui uma parte totalmente voltada para as Radiações Ionizantes em plataformas e FPSOs!

A norma estabelece que, durante todo o ciclo em que a plataforma ou FPSO estiver em operação, a empresa responsável deve adotar medidas para proteger os trabalhadores contra os efeitos nocivos da radiação ionizante (NORM/TENORM) presente na planta e que  é gerada durante exploração, produção e armazenamento na plataforma.

A CNEN estabelece os seguintes limites de dose anual de exposição à radiação que um ser humano pode receber:

limite-de-dose-anuais-exposição-radiação

Caso o acúmulo de NORM/TENORM no Offshore seja muito alto, é necessário realizar o processo de descontaminação. Se a limpeza não for realizada, há possibilidade de ocorrer a interdição da planta. Lembre-se que um ativo Offshore parado pode gerar milhões de dólares em prejuízo diariamente.

O que fazer para garantir a segurança de todos no Offshore?

Para garantir que a operação do ativo Offshore esteja de acordo com as normas e nenhum trabalhador corra perigo de contaminação, é importante também realizar uma inspeção regulatória para eliminação de Não Conformidades.

Esta inspeção é um serviço oferecido por empresas especializadas, que atuam na planta de produção monitorando e realizando uma varredura completa, na qual são avaliados todos os tópicos levantados pela CNEN, pelo MTE e pelo IBAMA, referentes à proteção radiológica.

Desta forma, um relatório é emitido com todas as não conformidades identificadas, além de sugestões para eliminar as não conformidades da sua planta de produção. 

Existem empresas que disponibilizam o serviço de todo o gerenciamento, armazenamento e destinação final de rejeitos NORM/TENORM de forma segura e dentro das normas. 

Também fornecem toda a logística, como o entamboramento, o transporte e mão de obra apropriada, além de darem destino final a estes rejeitos, que não podem ficar armazenados em um depósito inicial (geralmente na própria planta de produção em que foram encontrados).

Não se esqueça: as leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes ocorram, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

Para saber mais sobre o processo de gerenciamento de rejeitos radioativos e ainda mais, baixe o nosso eBook gratuito e entenda sobre a destinação final dos rejeitos NORM/TENORM!

Também não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!