Aferição de monitores de radiação – saiba a importância!

Você se importa com a segurança de todos ao seu redor e busca a excelência em seus processos? Então este post sobre aferição de monitores de radiação é para você!

O que são e como funcionam os monitores de radiação?

Monitores de radiação são equipamentos eletroeletrônicos utilizados para a mensuração do nível de radiação ao redor de uma fonte radioativa, ou em um meio ambiente qualquer onde se supunha que haja algum tipo de radiação. Os monitores mais comuns são os do tipo Geiger-Müller e câmara de cintilação.

É mandatório que toda empresa que possua algum tipo de fonte radioativa também conte com monitores de radiação!

Qual a importância da aferição de monitores de radiação?

Segundo as normas, todo monitor precisa ser calibrado e essa calibração, no Brasil, obrigatoriamente precisa ser feita por um dos laboratórios credenciados pela CNEN para tal atividade.
Uma vez calibrado, o monitor está com a sua leitura regulada para identificar o nível de radiação em comparação com uma fonte padrão que o laboratório possui.
O monitor a ser utilizado ao longo do ano precisa garantir que a calibração feita pelo laboratório se mantenha estável, porque o mesmo pode cair, sofrer algum dano em uma parte eletrônica, estrutura física… Enfim, algo que possa causar mal funcionamento do monitor.

A forma de garantir que os equipamentos estão funcionando bem ou não é realizando a aferição de monitores de radiação!

Como a aferição de monitores de radiação é feita?

É preciso estabelecer uma leitura de referência, através da monitoração de uma fonte-teste.
O equipamento é enviado para calibração no laboratório e, assim que o equipamento retorna, é testado com a fonte-teste uma ou mais vezes. Então é feita uma média dos resultados, que será o valor de referência da aferição. Esse valor será comparado com os das aferições futuras desse equipamento, devendo se manter dentro de um intervalo de +/- 10%, para comprovar a estabilidade da calibração.
É importante que essa aferição seja feita sempre com a mesma fonte-teste e com o mesmo posicionamento geométrico, ou seja, com a fonte posicionada diante o aparelho sempre na mesma posição.

Quais são as normas responsáveis por garantir que a aferição de monitores de radiação seja feita de forma correta?

A Norma 3.01 – Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica da CNEN é considerada a “Norma Mãe” quando se trata da Radioproteção. Ela vai dizer que é necessário fazer a calibração e garantir a qualidade do funcionamento do equipamento.
Existe também uma norma da ABNT que estabelece, em sua essência, padrões nacionais de calibração de instrumentos!

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes de trabalho possam ocorrer, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição.
Se você quer evitar todos os efeitos da radiação ionizante no ambiente de trabalho precisa de um Serviço de Radioproteção bem preparado.
Se você é ou a sua equipe possui um IOE (Indivíduo Ocupacionalmente Exposto), estabelecer um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente é mandatório!
Quando você trabalha em uma indústria que utiliza fontes radioativas em seus processos, é necessário que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada, de acordo com as normas da CNEN.
Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, for gerada muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Radioproteção por conta própria.
Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.
E não se esqueça de se cadastrar na nossa newsletter e seja um especialista no assunto!

FONTES: