Diferenças entre depósito inicial e final de rejeitos NORM/TENORM

Quando o assunto é o descarte e armazenamento de rejeitos radioativos NORM/TENORM, é preciso se atentar a todos os detalhes. E o tópico principal do material de hoje, são as diferenças entre depósitos iniciais e finais destes rejeitos.

Continue lendo o post e descubra!

O que são rejeitos radioativos NORM/TENORM e como ocorre o acúmulo deles em ativos Offshore?

Você pode até não saber, mas o solo, a água e praticamente todas as rochas do planeta contêm pequenas quantidades de materiais radioativos, como Urânio (U), Tório (Th), Rádio (Ra), Radioisótopos de Potássio (K), Chumbo (Pb), Polônio (Po) e outros.

Tudo isso é chamado de material radioativo de ocorrência natural, ou NORM (a sigla vem de Naturally Occurring Radioactive Materials). Quando, propositalmente ou inadvertidamente, estes materiais são manuseados, concentrados e tecnicamente modificados, os níveis de radionuclídeos ou potencial de exposição além do índice de irradiação permitido, aumentam e tornam-se TENORM (Technologically Enhanced Naturally Occurring Radioactive Materials).

A principal diferença entre estes materiais está nos níveis de radiação que eles expõem aos indivíduos. O NORM, por ser um material encontrado de forma dispersa na natureza, não apresenta grandes perigos. Trata-se de um tipo de material radioativo com uma quantidade pequena de radionuclídeos. 

É uma fonte de radiação que possui níveis abaixo ou equivalentes ao limite de exposição que um indivíduo comum pode suportar. Já o TENORM é o NORM concentrado, ou seja, com maior potencial danoso para os trabalhadores que estão sob sua responsabilidade.

Durante a fase de perfuração de um ativo Offshore, o campo que está sendo explorado, contém NORM presente. Conforme ocorre o processo de extração do petróleo do campo, o NORM que está diluído em óleo e gás “sobe” com o material produzido através dos vasos, linhas e tubulações presentes na plataforma. Todo o NORM vai se acumulando na planta de produção, em forma de borras e incrustações, e se torna TENORM.

Após algum tempo, ocorre a redução da pressão no reservatório, e é necessário injetar água para manter a produção fluindo. Porém, isto causa a dissolução acelerada dos sais que possuem materiais radioativos presentes na rocha e no óleo. Assim, ainda mais material TENORM se acumula na planta de produção.

Após anos em operação, o acúmulo de TENORM pode ser gigantesco, caso a limpeza e a descontaminação periódica do ativo Offshore não seja feita!

Armazenamento de rejeitos radioativos em depósitos iniciais e finais

A diferença principal entre depósitos iniciais e finais de rejeitos radioativos é que, no primeiro, os rejeitos ficarão armazenados temporariamente até ser definido o destino final a ser dado para eles, e no segundo, é onde os rejeitos ficarão armazenados de forma definitiva.

Geralmente, o depósito inicial é o local em que o rejeito radioativo é gerado, como os ativos Offshore. Esse rejeito não deve ficar embarcado por muito tempo, pois há risco de vazamento e contaminação, caso ocorra algum acidente.

Os rejeitos precisam ser separados de acordo com as formas físicas (sólido, líquido e gasoso), além dos isótopos contaminantes, que devem ser devidamente embalados em recipientes especiais e armazenados em local seguro, até que tenham o seu destino final determinado.

Já os depósitos finais, são locais com estruturas e processos que visam garantir que o material armazenado neles não comprometa a saúde das pessoas e o meio ambiente.

No Brasil, até pouco tempo atrás, não existia um depósito final de rejeitos NORM/TENORM, mas isso mudou.

Existem empresas que realizam o serviço de gerenciamento e armazenamento de rejeitos NORM/TENORM, de forma segura e dentro das normas estabelecidas pela CNEN, além de fornecerem a logística completa, como o envasamento dos rejeitos, o transporte e mão de obra apropriada para realizar o serviço. 

É essencial estar em dia com as normas, para que a plataforma ou FPSO não sejam interditados, pois 1 dia de paralisação das atividades, equivale a milhares de dólares de prejuízos!

Não tem como ser medida a tranquilidade, a paz e a sensação de segurança que isso traz para você e para todos os trabalhadores que estão embarcados.

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes ocorram, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição.

Se você quer evitar todos os efeitos da radiação ionizante no ambiente de trabalho, precisa de um Serviço de Radioproteção bem preparado.

Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, for gerada muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Radioproteção por conta própria.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.

E não esqueça de se cadastrar na nossa newsletter. Seja um especialista no assunto!

FONTES:

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país