Entenda a diferença entre descarte de fontes radioativas e descarte de rejeitos radioativos

Gerenciar materiais radioativos não é uma tarefa fácil. Quando se trata do descarte, então, é preciso realizar os procedimentos de forma correta e de acordo com a lei, independente de realizar o descarte de fontes radioativas ou rejeitos radioativos.

Continue lendo o post e entenda a diferença!

Qual a diferença entre uma fonte radioativa e um rejeito radioativo?

As fontes radioativas são utilizadas em diversas aplicações, como as fontes presentes em instrumentos de Medição de Nível radiométricos ou em equipamentos médicos. Quando as fontes param de funcionar como devem ou os equipamentos sofrem algum dano, é preciso cuidar para que a fonte seja descartada de forma correta.

Já os rejeitos radioativos são aqueles gerados em processos como o de limpeza de tanques no Offshore. Durante o processo de limpeza, é feito o monitoramento da área e da borra, para detectar a existência ou inexistência de material radioativo. 

Caso seja encontrado material NORM/TENORM, é preciso realizar o processo de descontaminação e, em seguida, gerenciar estes rejeitos de forma correta.

Como realizar o descarte de fontes radioativas?

É preciso seguir alguns passos pré definidos pela CNEN, para realizar este descarte:

1 – Retirá-lo da planta de produção

O seu equipamento está obsoleto ou danificado? O primeiro passo deve ser retirá-lo da área e armazená-lo no seu bunker. Ele deve ser removido da operação imediatamente, para que sejam evitados danos ao patrimônio pessoal e ao meio ambiente.

Esse equipamento deve ficar no bunker somente pelo tempo necessário para que toda a parte burocrática junto a CNEN seja providenciada para o descarte.

2 – Comunicar o pedido de descarte do material na base da CNEN mais próxima e dar entrada no pedido de descarte

Você precisa fazer o pedido de orçamento para descarte do material em um dos pontos da CNEN mais próximos à você. Após estar com o orçamento aprovado, você deve abrir um protocolo de descarte no portal CNEN (RTR), anexando o documento de aceite para o descarte já assinado e acompanhar os trâmites até seu deferimento.

3 – Agendar o descarte, providenciar o acondicionamento e transporte de material e dar baixa em seu inventário

Após toda a documentação estar devidamente aprovada, você deve agendar o dia e a hora para entrega dos rejeitos com a base da CNEN na qual fez o pedido.

O material precisa ser acondicionado de forma adequada. Em seguida, você precisa providenciar um transporte adequado, legalizado, licenciado e credenciado pela CNEN do material até o ponto final de destinação, incluindo toda a documentação obrigatória para o transporte.

Assim que ele for entregue à CNEN, você precisa realizar a baixa dessa fonte, material ou equipamento radioativo no seu inventário de fontes.

Como realizar o descarte de rejeitos radioativos do Offshore?

Os rejeitos precisam ser separados de acordo com as formas físicas (sólido, líquido e gasoso), e acondicionados em recipientes apropriados, como tambores metálicos, bombonas plásticas ou outro tipo de contentor apropriado. Também precisam ser analisados, rotulados e tudo isso precisa ser posto em um local seguro, dentro do que a legislação da CNEN e o IBAMA exigem.

Esse local precisa ter acompanhamento constante, vigilância 24 horas por dia e uma série de outras exigências, para garantir que o material NORM/TENORM não cause danos a nenhuma pessoa, não contamine o patrimônio do contratante e nem cause nenhum mal ao meio ambiente. Se o material vazar e infiltrar no solo, pode chegar a um lençol freático e contaminar o abastecimento de água de uma cidade inteira!

Hoje em dia, ainda não existe no Brasil, um local apropriado para o depósito de rejeitos radioativos, mas existem empresas que estão correndo atrás, em parceria com a CNEN, para criar estes espaços seguros de armazenagem de rejeitos radioativos.

Também existem empresas que disponibilizam o serviço de todo o gerenciamento e armazenamento de rejeitos NORM/TENORM, de forma segura e dentro das normas. Também fornecem toda a logística, como o entamboramento, o transporte e mão de obra apropriada. 

É necessário ser altamente especializado em Radioproteção para lidar com esse tipo de material! É importante também realizar uma Inspeção Regulatória para eliminação de Não Conformidades!

Quais são os principais desafios e erros ao realizar esse descarte de fontes radioativas?

É comum a ocorrência de o equipamento fora de uso ficar armazenado no bunker da empresa por muito tempo. Como ele não está mais dando lucro ou funcionando de forma correta, acaba ficando largado e esquecido.

As principais razões para que isso ocorra são:

  • Por ser um processo muito trabalhoso, principalmente a parte burocrática, o material ou equipamento acaba sendo deixado de lado e substituído por um novo;
  • Pela falta de conhecimento do profissional que lidará com esses rejeitos radioativos;
  • Pela falta de capacidade das empresas realizarem o transporte por conta própria. Elas precisam ter um plano de transporte aprovação da CNEN, precisam cumprir uma série de outras legislações relativas à movimentação da carga pelas rodovias, por se tratar de rejeitos perigosos.

Como garantir que a sua plataforma Offshore fique em Conformidade com a lei?

A Inspeção Regulatória para eliminação de Não Conformidades é um serviço oferecido por empresas especializadas. Essas instituições fazem uma varredura de ponta a ponta da plataforma, do FPSO ou de um navio de armazenagem, avaliando todos os tópicos levantados pela CNEN, pelo MTE e pelo IBAMA, referentes à proteção radiológica.

Então, a empresa emite um laudo com todos os pontos que estão irregulares e o que precisa ser feito para corrigir as Não Conformidades. Portanto, cabe a operadora da plataforma ou FPSO adotar as sugestões da empresa prestadora de serviços.

Podemos pensar nesse serviço como uma pré-inspeção feita para que a operadora da plataforma, FPSO ou navio de armazenagem não caia em uma Não Conformidade mais pesada, gerando assim, os dois problemas mais graves possíveis, que são a multa e a interdição do ativo Offshore.

Uma plataforma de petróleo ou um FPSO parados podem gerar milhares de dólares de prejuízo por dia!

É importante ter essa certeza de que a unidade será vistoriada por um grupo de profissionais de uma empresa prestadora de serviços competente, qualificada e certificada pelos próprios órgãos reguladores responsáveis, como a CNEN e o IBAMA. 

Assim, a empresa contratada poderá indicar para você o que está errado e as formas de corrigir os problemas. Temos certeza que o gasto com esta inspeção será bem menor do que os prejuízos futuros que podem ser gerados por uma Não Conformidade!

A tranquilidade, a paz e a sensação de segurança que isso traz para você e para todos os trabalhadores que estão embarcados na plataforma Offshore ou no FPSO, ao saberem que não estão expostos à radiação, não tem como ser medida.

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes ocorram, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição.

Se você quer evitar todos os efeitos da radiação ionizante no ambiente de trabalho, então precisa de um Serviço de Radioproteção bem preparado.

Se você é ou a sua equipe possui um IOE (Indivíduo Ocupacionalmente Exposto), estabelecer um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente é mandatório!

Quando você trabalha em uma indústria que utiliza fontes radioativas em seus processos, é necessário que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada, de acordo com as normas da CNEN.

Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, for gerada muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Radioproteção por conta própria.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.

E não esqueça de se cadastrar na nossa newsletter. Seja um especialista no assunto!

FONTES:

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país