Fonte radioativa x Material NORM/TENORM: saiba o que fazer em cada situação

Quando se trata do gerenciamento e descarte de materiais radioativos, é preciso realizar os procedimentos de forma correta e de acordo com a lei, sejam fontes radioativas ou material NORM/TENORM.

Mas para isso, é preciso entender a diferença entre eles, bem como saber a melhor forma de gerenciá-los! É para explicar isso a você que criamos este post. Continue lendo e saiba mais.

Diferenças entre uma fonte radioativa e um material NORM/TENORM

As fontes radioativas são utilizadas em diversas aplicações industriais e hospitalares, como as que estão presentes nos equipamentos radiométricos de controle de processos. 

Quando estes elementos não operam mais como devem ou os equipamentos sofrem algum tipo de dano, é preciso garantir que seu descarte seja feito da forma adequada. 

Já os materiais NORM/TENORM são aqueles gerados em processos como o de limpeza de tanques no Offshore. Durante este procedimento, é feito o monitoramento da área e da borra, para detectar a existência ou inexistência de material radioativo. 

Caso seja encontrado material NORM/TENORM, é preciso prosseguir com o processo de descontaminação e, em seguida, gerenciar estes rejeitos para a destinação adequada e conforme a lei.

Passos para gerenciar uma fonte radioativa adequadamente

É preciso seguir alguns passos pré-definidos pela CNEN para realizar este descarte, dos quais, citamos abaixo. Acompanhe.

1. Retirar o instrumento/material da planta de produção 

O seu equipamento está obsoleto ou danificado? O primeiro passo deve ser removê-lo do local e armazená-lo em seu bunker. Ele deve ser transferido da operação imediatamente, para que sejam evitados danos ao patrimônio pessoal e ao meio ambiente.

Mas, atenção: esse equipamento deve ficar no bunker somente pelo tempo necessário para que toda a parte burocrática junto a CNEN seja providenciada e o processo de descarte possa prosseguir.

2. Comunicar o pedido de descarte do material na base da CNEN mais próxima e dar entrada na solicitação de descarte

Você precisará fazer o pedido de orçamento para descarte do material em um laboratório da CNEN mais próximo da instalação. Após o orçamento aprovado, abra um protocolo de descarte no portal CNEN (RTR), anexando o documento de aceite para o descarte já assinado. Acompanhe todos os trâmites até seu deferimento.

3. Agendar o descarte, providenciar o acondicionamento e transporte de material e dar baixa em seu inventário

Após toda a documentação estar devidamente aprovada, agende a data e hora para entrega do material na base da CNEN na qual fez o pedido. O material precisa ser acondicionado de forma adequada em embalagens próprias para fontes radioativas.

Em seguida, providencie um transporte apropriado, legalizado, licenciado e credenciado pela CNEN do material até o ponto final de destinação, incluindo toda a documentação obrigatória para o transporte.

Assim que ele for entregue à CNEN, você precisa realizar a baixa dessa fonte, material ou equipamento radioativo no seu inventário de fontes.

Principais desafios e erros ao realizar o descarte de fontes radioativas

É comum a ocorrência de o equipamento fora de uso ficar armazenado no bunker da empresa por muito tempo. Como ele não está mais dando lucro ou funcionando de forma correta, acaba ficando largado e esquecido.

As principais razões para que isso ocorra são:

  • por ser um processo muito trabalhoso, principalmente a parte burocrática, o material ou equipamento acaba sendo deixado de lado e substituído por um novo;
  • pela falta de conhecimento do profissional que lidará com esses rejeitos radioativos;
  • pela falta de capacidade das empresas realizarem o transporte por conta própria. Elas precisam ter um plano de transporte aprovado pela CNEN, além de cumprir uma série de outras legislações relativas à movimentação da carga pelas rodovias, por se tratar de rejeitos perigosos.

Como são gerenciados os materiais NORM/TENORM do Offshore

Os materiais NORM/TENORM gerado no Offshore precisam ser separados de acordo com as suas formas físicas. Isto é, sólidos, líquidos e gasosos, e armazenados em embalagens próprias para a finalidade, como tambores metálicos e bombonas plásticas, por exemplo.

Além disso, precisam passar por uma análise radioquímica para que sejam rotulados. Tudo isso precisa ser armazenado em um local seguro, dentro do que a legislação da CNEN e o IBAMA exigem. 

Provisoriamente, são armazenados em depósitos iniciais. Como dito acima, geralmente na própria planta de produção, enquanto aguardam a destinação final.

Esse local precisa ter acompanhamento constante, vigilância 24 horas por dia e uma série de outras exigências para garantir que o material NORM/TENORM não cause danos a nenhuma pessoa, não contamine o ambiente de trabalho e nem cause qualquer dano ao meio ambiente. 

É necessário ser altamente especializado em Radioproteção para lidar com esse tipo de material!

Abaixo, vamos tratar de um tópico muito importante: os diferentes tipos de depósitos, bem como a sua importância, pois seguir com o armazenamento de forma adequada, garante a segurança de todos.

Classificação dos depósitos de rejeitos radioativos

Os depósitos de rejeitos radioativos são classificados em quatro tipos:

  1. Depósito inicial: destinado ao armazenamento de rejeitos radioativos que estão sob a responsabilidade do proprietário da plataforma Offshore. Fica localizado na própria planta de produção e não devem ficar armazenados neste local por muito tempo, por conta dos riscos aos quais os trabalhadores estão expostos;
  2. Depósito intermediário: destinado a receber e, eventualmente, armazenar os rejeitos radioativos enquanto aguardam a sua remoção para depósito final, de acordo com os critérios de aceitação estabelecidos na Norma CNEN NN 6.09;
  3. Depósito final: destinado à deposição final de rejeitos radioativos;
  4. Depósito provisório: é o depósito que conta com uma finalidade específica e armazena rejeitos radioativos gerados por acidentes nucleares ou radiológicos, como é o caso do depósito localizado em Goiânia.

E quando o material vai para a destinação final?

É extremamente importante buscar uma empresa altamente preparada, que tenha a aprovação da CNEN para dar destinação final aos rejeitos radioativos gerados em processos do Offshore, como no caso do material produzido na limpeza de tanques.

Para saber mais sobre o processo de gerenciamento de rejeitos radioativos no Offshore e muito mais, baixe o nosso eBook gratuito e entenda tudo sobre a destinação final dos rejeitos NORM/TENORM!

Não se esqueça: as leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes ocorram, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

Também não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!