Quais prejuízos gera um FPSO parado ou interditado?

Com o aumento da população mundial e do consumo de combustível ao longo dos anos, a pressão para se produzir mais petróleo e gás aumentou.  Com a implantação de FPSOs, foi possível dar conta da demanda.

Agora imagine só: se há uma alta demanda por combustível, deixar um FPSO parado por muito tempo gera prejuízos altíssimos.

Continue lendo e saiba mais sobre isso!

O que é um FPSO?

FPSO é a abreviação para Floating Production, Storage and Offloading ou Unidade Flutuantes de Produção, Armazenamento e Descarga. É um dos tipos de ativos Offshore que realizam a extração de petróleo e gás em alto mar.

Geralmente, os ativos Offshore estão localizados em áreas marítimas com grande profundidade e em muitos casos, com reservas abundantes de petróleo.

A construção dos ativos Offshore, no entanto, é feita em terra firme para posteriormente serem içados e colocados no local ideal de extração. Dependendo do tipo de plataforma, ficam flutuando sobre o local de extração do petróleo.

Antes da construção e da instalação de um ativo Offshore, é necessário que um estudo seja realizado na área escolhida, uma vez que os custos de construção são altos. É importante atentar também para fatores de risco, como os ambientais.

Quais são os tipos de ativos Offshore?

A gente fala muito em dois tipos aqui no blog, que são:

  • Plataformas fixas: as plataformas fixas são projetadas para receber todos os equipamentos de perfuração, estocagem de materiais, alojamento de funcionários, assim como todas as instalações necessárias para a produção dos poços. Não possui capacidade de estocagem de petróleo ou gás, pois precisam ser enviados para o continente através de oleodutos e gasodutos.
  • Sistemas flutuantes de produção (FPS – Floating Production Systems): são navios, em geral, de grande porte, com capacidade para produzir, processar armazenar petróleo e gás natural, estando ancorados em um local definido. É aqui que o FPSO se encaixa!
Com o aumento da população mundial e do consumo de combustível ao longo dos anos, a pressão para se produzir mais petróleo e gás aumentou.  Com a implantação de FPSOs, foi possível dar conta da demanda. Agora imagine só: se há uma alta demanda por combustível, deixar um FPSO parado por muito tempo gera prejuízos altíssimos.

Um mercado super valioso!

O mercado mundial de FPSO tem a América do Norte e a Europa como líderes e a previsão é que continuem no topo nos próximos anos, uma vez que possuem reservas de petróleo e gás estabelecidas. Além disso, o Brasil deverá se destacar no mercado de FPSO aqui nas Américas.

Quais os problemas de manter um FPSO parado por muito tempo?

Se o FPSO possuir alguma não conformidade, seja ela voltada para Radioproteção ou em outras áreas, como problemas com maquinários, ele pode sofrer uma interdição.

Existem empresas especializadas que dispõem de serviços de inspeção em ativos Offshore para que essas não conformidades sejam identificadas e eliminadas.

Algumas delas emitem um laudo com tudo o que está errado e sugestões de correção, que podem ser adotadas pelo cliente ou não.

Podemos pensar nesse serviço como uma pré inspeção, feita para que o cliente não caia em uma não conformidade grave, gerando, assim, os dois principais malefícios possíveis, que são a multa e a interdição do ativo Offshore.

Além disso, existem também empresas que realizam o serviço de limpeza e descontaminação nos ativos Offshore.

A limpeza é importante, pois quando há o acúmulo de muita borra em um tanque de armazenamento, a plataforma começa a produzir menos do que a sua capacidade original permite.

E, se for detectado material radioativo, é preciso fazer uma descontaminação também. O ideal é contratar uma empresa especializada em realizar tanto o serviço de limpeza quanto o de descontaminação pois, se for detectado material radioativo e a empresa só oferecer o serviço de limpeza, será preciso contratar outra empresa, o que acarreta em mais tempo de parada do ativo Offshore.

É importante que a empresa realize um serviço de qualidade, eficiente e, o mais importante, rápido, evitando, assim, que seja necessária uma refação.

Uma plataforma de petróleo ou um FPSO podem gerar milhares de dólares de prejuízos por dia se ficarem parados!

Quais os motivos de se manter um FPSO parado?

Como dissemos acima, existem diversos motivos para que um FPSO precise parar a sua produção. E são eles:

  • inspeção do FPSO;
  • realização dos serviços de limpeza e, caso seja necessário, descontaminação;
  • uma empresa que realizou o serviço de limpeza, mas não pôde realizar o de descontaminação;
  • interdição por não conformidades detectadas;
  • deixar a borra muito acumulada em tanques de armazenamento, fazendo com que a limpeza leve mais tempo.
Com o aumento da população mundial e do consumo de combustível ao longo dos anos, a pressão para se produzir mais petróleo e gás aumentou.  Com a implantação de FPSOs, foi possível dar conta da demanda. Agora imagine só: se há uma alta demanda por combustível, deixar um FPSO parado por muito tempo gera prejuízos altíssimos.

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes possam ocorrer, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição e pode ser uma não conformidade encontrada em um FPSO.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.

E não se esqueça de se cadastrar na nossa newsletter e seja um especialista no assunto!

FONTES

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país