Qual o papel do SPR em um FPSO, de acordo com a NR-37?

Se você trabalha embarcado, com certeza deve saber que o SPR (Supervisor de Proteção Radiológica) é um profissional indispensável em uma plataforma Offshore, principalmente porque em algum ponto da produção da sua indústria, deve conter material radioativo TENORM.

O SPR é o profissional que possui conhecimentos para elaborar o Plano de Proteção Radiológica e implantar o Serviço de Proteção Radiológica em uma indústria.

O que faz um Supervisor de Proteção Radiológica?

O SPR tem a função de prover um ambiente de trabalho seguro para todos que trabalham nele. Geralmente, a radiação ionizante está presente em empresas que executam serviços com fontes radioativas e instrumentos radiométricos médicos ou industriais.

Quais são as qualificações necessárias para se tornar um SPR?

Como se trata de uma especialização, quem deseja se tornar um Supervisor de Proteção Radiológica, deve possuir o diploma de curso superior de graduação (Bacharelado, Tecnólogo ou Licenciatura) reconhecido pelo Ministério da Educação, nas áreas tecnológicas, biomédicas ou científicas, com formação acadêmica compatível com a área pretendida.

O mais comum é que os profissionais de segurança do trabalho se especializem em Supervisão de Proteção Radiológica. Trata-se de uma atividade de grande importância para a indústria.

E que, muitas vezes, é negligenciada!

Se você trabalha embarcado, com certeza deve saber que o SPR (Supervisor de Proteção Radiológica) é um profissional indispensável em uma plataforma Offshore, principalmente porque em algum ponto da produção da sua indústria, deve conter material radioativo TENORM.

Quais são as obrigações do Supervisor de Proteção Radiológica, de acordo com a NR-37?

Com a publicação da NR-37, norma totalmente voltada para o Offshore, as funções do SPR vieram mais à tona. E são elas:

  • a operadora da plataforma Offshore deve designar um Supervisor de Proteção Radiológica que seja responsável pelo monitoramento dos trabalhos que estejam, de alguma maneira, expostos a radiações ionizantes;
  • o Supervisor de Proteção Radiológica deve possuir certificação da qualificação válida na área de atuação, segundo a sua atividade e em conformidade com a legislação específica da CNEN;
  • a operadora deve também assegurar que os IOE possuam capacitação de acordo com os anexos da NR-37, e essa capacitação deve ser ministrada pelo Supervisor de Proteção Radiológica e pelos profissionais de segurança e saúde, com qualificação e habilitação em proteção radiológica;
  • é função da operadora, ainda, elaborar e manter atualizado o Plano de Radioproteção aprovado pela CNEN, sob a responsabilidade técnica de Supervisor de Proteção Radiológica – Supervisor de Proteção Radiológica devidamente certificado pela CNEN;
  • o transporte de fontes e rejeitos de materiais radioativos deve ser autorizado pelo Supervisor de Proteção Radiológica, estando acompanhados de documentação específica, atendendo aos requisitos da CNEN e demais normas técnicas nacionais e internacionais vigentes;
  • a operadora da plataforma Offshore deve identificar as operações e os locais onde podem ocorrer exposições às radiações, as trajetórias do material radioativo e os seus meios de propagação, devendo realizar um levantamento radiométrico, quando constatada a sua presença;
  • após o levantamento radiométrico, deve ser elaborado um plano de monitoramento definido pelo Supervisor de Proteção Radiológica, cuja frequência deve atender, no mínimo, a análise global do PPRA.
Se você trabalha embarcado, com certeza deve saber que o SPR (Supervisor de Proteção Radiológica) é um profissional indispensável em uma plataforma Offshore, principalmente porque em algum ponto da produção da sua indústria, deve conter material radioativo TENORM.

A NR-37 e as Radiações Ionizantes

A NR-37 possui uma parte totalmente voltada para as Radiações Ionizantes em plataformas de petróleo!

A norma diz que, durante todo o ciclo de vida da plataforma, a operadora deve adotar medidas para proteger os trabalhadores contra os efeitos nocivos da radiação ionizante, provenientes de operações industriais de fontes radioativas e de materiais radioativos de ocorrência natural (NORM/TENORM) gerados durante a exploração, produção e armazenamento na plataforma.

O NORM, por ser um material encontrado de forma dispersa na natureza, não apresenta grandes perigos. Trata-se de um tipo de material radioativo com uma quantidade pequena de radionuclídeos. É uma fonte de radiação que tem níveis abaixo ou equivalentes ao limite de exposição que um indivíduo comum pode suportar.

O TENORM é o material radioativo que você pode encontrar na indústria em que você trabalha! Ocorre quando o NORM é tecnicamente modificado. Ou seja, durante os processos da plataforma, ele já é TENORM!

Se você é o responsável pela Segurança do Trabalho no Offshore, fique atento!

O TENORM, nada mais é do que o NORM concentrado, ou seja, com maior potencial danoso para os trabalhadores que estão sob sua responsabilidade.

A NR-37 ainda diz que a operadora da plataforma deve assegurar que as empresas contratadas – que manuseiam ou utilizam equipamentos com fontes radioativas -, estejam licenciadas pela CNEN.

É sempre importante lembrar: quem segue às leis, evita que acidentes aconteçam, assim como prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

Se você é, ou a sua equipe possui, um IOE (Indivíduo Ocupacionalmente Exposto), estabelecer um Plano de Proteção Radiológica detalhado e eficiente é mandatório!

Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, ocasionar muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Proteção Radiológica por conta própria.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo, com tudo que você precisa saber sobre Proteção Radiológica.

E não esqueça de se cadastrar na nossa newsletter, queremos te ajudar a se tornar um especialista no assunto!

FONTES:

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país
  • NR-37