O que fazer com os rejeitos NORM/TENORM gerados numa limpeza de tanques Offshore?

Quando se trata de evitar que plataformas Offshore produzam menos e entrem em não conformidade, a empresa responsável deve realizar, periodicamente, a limpeza de todo o ambiente, incluindo tanques, vasos e outras partes que compõem a plataforma.

E caso seja encontrado material radioativo NORM/TENORM, além da limpeza, é necessário realizar a descontaminação do local. Mas, como lidar com estes rejeitos radioativos?

Continue lendo e descubra!

Qual a importância de se realizar a limpeza de tanques no Offshore?

Durante a vida útil da plataforma Offshore, é normal que resíduos acabem sendo acumulados no ambiente. Podem conter materiais radioativos ou apenas rejeitos comuns gerados em processos, como os que ocorrem nos tanques de armazenamento de óleo e/ou de água das plataformas.

Quando há um grande acúmulo de borra nos tanques de armazenamento, a capacidade de armazenar o material produzido diminui, uma vez que o tanque não está sendo usado em sua capacidade total.

Entretanto, em alguns casos, material radioativo pode ser encontrado nos tanques. Então, é necessário iniciar um processo de descontaminação seguido do gerenciamento do rejeito radioativo.

Quando se trata de evitar que plataformas Offshore produzam menos e entrem em não conformidade, a empresa responsável deve realizar, periodicamente, a limpeza de todo o ambiente, incluindo tanques, vasos e outras partes que compõem a plataforma.

Quais os riscos de negligenciar a presença dos rejeitos radioativos no Offshore?

Por conta das legislações vigentes, as chances de acontecer um acidente radioativo são quase nulas.

Mas, por conta da falta de cuidados que algumas empresas têm com materiais radioativos, ocorreu, há mais de 30 anos, o acidente de Goiânia com o Césio-137. Ele foi o maior acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo fora de usinas nucleares.

O material radioativo não era considerado, exatamente, um rejeito, mas era uma fonte radioativa fora de uso que foi abandonada em um local sem os devidos cuidados.

Mas ainda podem existir, nos dias de hoje, algumas empresas do Offshore que, por falta de opções de locais para armazenar esses rejeitos radioativos, acabam deixando-os armazenados em tambores nos deques das unidades.

Em alguns casos, por não terem onde colocar o material, retornam a borra contaminada para dentro dos tanques em operação, o que não é correto, já que estão mantendo um risco próximo a elas.

É dito na NR-37 que os responsáveis pela plataforma Offshore devem elaborar o Plano de Gerenciamento de Rejeitos Radioativos para o material de ocorrência natural cuja reutilização é imprópria ou não prevista, segundo a CNEN.

Caso seja encontrado material radioativo, é preciso que a equipe de limpeza utilize EPIs adequados, sejam dosimetrados e tenham um Supervisor de Radioproteção para liberar o trabalho e dar início a descontaminação.

Caso a empresa contratada não possua o serviço de descontaminação, a plataforma ficará parada por mais tempo até os responsáveis encontrarem outra empresa para resolver esta situação.

Por isso, a melhor solução é contratar uma empresa que já preste os serviços de limpeza e descontaminação.

Descontaminação de NORM/TENORM

Nas plataformas Offshore, é esperado que haja algum tipo de contaminação em equipamentos, ferramentas e até mesmo em áreas da planta industrial, como tanques.

Para garantir a proteção de todos os trabalhadores e a segurança de toda a área, é necessário um processo de descontaminação completa, que consiste em:

  • segregação de material contaminado conforme sua natureza e forma física;
  • separação de isótopos contaminantes do material;
  • rejeitos devidamente embalados e guardados em local seguro até sua deposição para a CNEN.

Técnicas de Descontaminação

A eficácia da descontaminação é geralmente medida com um fator de descontaminação (Decontamination Factor – DF) definido como DF = atividade inicial / atividade residual.

A escolha do tipo certo de intervenção deve levar em conta:

  • tipo de superfície a ser descontaminada, incluindo rugosidade, porosidade, revestimentos, etc.;
  • condições radiológicas;
  • capacidade para tratamento e condicionamento de quaisquer resíduos secundários;
  • tempo disponível / requerido para aplicação;
  • segurança potencial e impactos ambientais;
  • custo-benefício para o processo geral de descomissionamento;
  • natureza e volume prováveis ​​de resíduos secundários.

As técnicas utilizadas para a limpeza de materiais contaminados, como escala e lodo, são, principalmente:

  • extração química (dissolução) que pode usar reagentes não corrosivos, como detergentes, ácidos diluídos, álcalis ou produtos químicos agressivos, como ácidos fortes e outros reagentes corrosivos;
  • técnicas de abrasivos mecânicos (escovagem, jateamento, jateamento de areia, jateamento abrasivo, etc.);;
  • jato de água a alta pressão ou água (ultra) de alta pressão.

Os rejeitos radioativos devem ser armazenados por responsáveis pelo ativo Offshore de forma segura e em conformidade com a legislação vigente no país. Ainda não existe, no país, um depósito de material NORM/TENORM, nem mesmo pertencentes à CNEN.

Agora entende como é de extrema importância que o gerenciamento de rejeitos radioativos seja feito de forma correta?

Quando se trata de evitar que plataformas Offshore produzam menos e entrem em não conformidade, a empresa responsável deve realizar, periodicamente, a limpeza de todo o ambiente, incluindo tanques, vasos e outras partes que compõem a plataforma.

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes de trabalho possam ocorrer, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

É importante saber que a radiação – e em especial a radiação ionizante – causa diversos efeitos biológicos às pessoas expostas a ela, dependendo da dose de exposição.

Se você quer evitar todos os efeitos da radiação ionizante no ambiente de trabalho,  precisará de um Serviço de Radioproteção bem preparado. E se você é ou a sua equipe possui um IOE (Indivíduo Ocupacionalmente Exposto), estabelecer um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente é mandatório!

Quando você trabalha em uma indústria que utiliza fontes radioativas em seus processos, é necessário que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada, de acordo com as normas da CNEN.

Também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da sua proteção radiológica se, por algum motivo, for gerada muita dor de cabeça ao implementar um Serviço de Radioproteção por conta própria.

Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.
E não esqueça de se cadastrar na nossa newsletter, seja um especialista no assunto!

FONTES:

  • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
  • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
  • Mais de 200 clientes atendidos em todo país