Será que é hora de descontaminar sua plataforma/FPSO?

Você, supervisor ou gestor que está embarcado, está preocupado com os níveis de radiação na sua plataforma ou FPSO e não tem certeza de que é preciso realizar a descontaminação?

Saiba que isso depende de você!

Na verdade, depende de como a supervisão e a gestão das medições de níveis de radiação estão sendo realizados no seu meio ambiente de trabalho.
Primeiro, você precisa saber que em todas as indústrias, os processos geram resíduos.
Não importa o combustível usado, os resíduos produzidos devem ser gerenciados de forma que deixe a saúde humana segura e minimize o impacto no meio ambiente.

Para o resíduo radioativo, isso significa isolá-lo ou diluí-lo de modo que a taxa ou a concentração de qualquer radionuclídeo devolvido à biosfera seja inofensiva.

Para conseguir isso, praticamente todos os resíduos radioativos são contidos e gerenciados, com alguns precisando que sejam enterrados profundamente e permanentemente.

Todos os resíduos gerados através da energia nuclear são regulamentados e nenhum deles deve causar poluição.

Hoje, no país, ainda não existe uma legislação específica da CNEN ou de qualquer outro órgão regulador, como a Anvisa ou o Ibama, em relação a limpeza e descontaminação desse material NORM incrustado.

Na verdade, o NORM só é NORM quando está na natureza. Assim que ele passa da primeira linha, da primeira tubulação, já podemos considerar como TENORM. As pessoas usam o termo NORM por hábito e convenção, mas é importante saber que sempre é TENORM quando falamos de radiação e contaminação em ativos Offshore.

Tá, mas o que são o NORM e TENORM?

O NORM, por ser um material encontrado de forma dispersa na natureza, não apresenta grandes perigos. É uma fonte de radiação que tem níveis abaixo ou equivalentes ao limite de exposição que um indivíduo comum pode suportar.
O TENORM é o material radioativo que você pode encontrar aí na indústria em que você trabalha. Ele é o NORM concentrado, ou seja, com maior potencial danoso para os trabalhadores que estão sob a sua responsabilidade.
Se a concentração de TENORM for alta, é importante considerar o processo de descontaminação.

E quem pode cuidar do monitoramento desse material?

A maior empresa estatal que cuida disso é a Petrobras. É ela quem comanda e coordena as ações dos ativos nos ativos que contrata e estão sob sua gestão.
A diretriz da Petrobras é a de fazer um levantamento semestral desse material TENORM. O levantamento semestral tem o objetivo de identificar se existe ou não a incrustação do material TENORM e em que nível essa inscrição se encontra.
Você pode levar anos, e até décadas, sem precisar realizar a descontaminação, mas o controle e a gestão desse material tem que ser feita continuamente e por isso a importância e obrigatoriedade dos levantamentos semestrais.
Você pode ter uma planta de produção de óleo ou FPSO que está trabalhando há dois, três, quatro anos e não ter nenhum histórico de existência de material TENORM. Por outro lado, você pode estar operando há seis meses e já estar com valores de radiação extremamente altos!
Não tem como garantir se um local ou uma formação geológica vai ou não ter grandes quantidades de material radioativo.
Sabemos pelo histórico das outras empresas e unidades que já trabalharam no local se existe ou não a tendência. Mas você só vai saber se a sua planta tem material TENORM se você medir os níveis periodicamente.
A Petrobras recomenda que seja feita semestralmente. Não existe fórmula mágica ou secreta para você saber exatamente se precisa ou quando precisa realizar a descontaminação.

Por isso a importância de realizar a medição periódica!

Esse levantamento semestral vai ser uma garantia de segurança para o trabalhador e para a empresa de que naquele momento e local não existe nível de radiação alto o suficiente que possa vir a prejudicar a saúde do trabalhador, em primeiro lugar e, em segundo lugar, do meio ambiente e do próprio patrimônio da empresa.

Ok, foi identificada uma fonte de radiação. Eu preciso fazer a descontaminação?

Não necessariamente!

O nível de material TENORM incrustado pode estar abaixo do valor seguro de exposição.
Caso esteja acima do valor, que é de 1 milisievert (unidade usada para dar uma avaliação do impacto da radiação ionizante sobre os seres humanos) ao ano, ainda assim você não é obrigado a limpar. Só é preciso garantir que o local esteja sinalizado e isolado para que o público não tenha acesso ao material TENORM.
Mas a partir do momento que o local precisar de alguma intervenção, como uma abertura de uma linha para a troca de uma válvula, aí sim é necessário, anteriormente, que uma equipe especializada, conhecedora dos processos de Radioproteção, com acompanhamento de dosimetria e com todos os equipamentos necessários para o serviço faça uma avaliação e remova o material contaminado daquele local para que a equipe de manutenção faça o seu trabalho com segurança.

A radiação – e em especial a radiação ionizante – acarreta diversos efeitos biológicos aos indivíduos expostos a ela de acordo com a dose e a forma de resposta. Por isso, a melhor forma de evitar os efeitos estocásticos e determinísticos da radiação ionizante no ambiente de trabalho é através de um Serviço de Radioproteção bem preparado.
Se na sua equipe tem ou se você mesmo é um IOE (Indivíduo Ocupacionalmente Exposto), estabelecer um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente, considera-se de extrema necessidade. Quando você trabalha em uma indústria que utiliza fontes radioativas em seus processos é necessário que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada de acordo com as normas da CNEN, órgão responsável pela regulação e fiscalização de tudo que envolve radiação nuclear no país.
Caso sua empresa ache muito dispendioso implementar um Serviço de Radioproteção, também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da proteção radiológica.
Para você que deseja ser um especialista no assunto, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre Radioproteção.
E não se esqueça de se cadastrar na nossa newsletter e seja um especialista no assunto!

FONTES:

    • Mais de 10 anos de experiência em Segurança do Trabalho junto às maiores indústrias do Brasil
    • Mais de 3 mil horas executando serviços de Radioproteção
    • Mais de 200 clientes atendidos em todo país