Supervisor de Radioproteção – Saiba tudo sobre essa profissão

O Supervisor de Radioproteção é um profissional indispensável nas instalações que precisam lidar com radiações ionizantes no dia a dia.

Se você é um técnico ou engenheiro de segurança do trabalho e atua em indústrias que trabalham com serviços, equipamentos ou materiais contendo fontes radioativas, você precisa saber mais sobre a supervisão em radioproteção.

Quem pode ser um Supervisor de Radioproteção?

O Supervisor de Radioproteção é o profissional que possui conhecimentos pertinentes para elaborar o plano de Radioproteção e sabe implantar o Serviço de Radioproteção de uma instituição.

Sua responsabilidade é promover segurança em um ambiente de trabalho que envolva as radiações ionizantes, em empresas que executam serviços com fontes radioativas e instrumentos radiométricos médicos ou industriais.

A qualificação desse profissional passa pela aprovação em avaliação junto ao CNEN. Trata-se de uma especialização, por isso quem deseja se tornar um Supervisor de Radioproteção deve possuir o diploma de curso superior de graduação (bacharelado, tecnólogo ou licenciatura) reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação) nas áreas tecnológica, biomédica ou científica, com formação acadêmica compatível com a área pretendida.

Os profissionais mais adequados a almejar a carreira de Supervisor em Proteção Radiológica são técnicos em radioproteção ou segurança do trabalho, e engenheiros de segurança do trabalho ou radioproteção.

O mais comum é que os profissionais de segurança do trabalho se especializem em supervisão de radioproteção.

Qual é a importância de um Supervisor de Radioproteção?

A grande importância do trabalho de um Supervisor de Radioproteção está no crescente desenvolvimento da indústria em geral.

Os processos industriais estão cada vez mais tecnológicos, sendo cada vez mais comum o uso de instrumentação industrial com fontes radioativas.

A preocupação do Supervisor de Radioproteção na área médica reside sob os pacientes, já no setor industrial, sob os indivíduos ocupacionalmente expostos (IOE).

Boa parte dos trabalhadores na área de radiologia médica e industrial não utilizam corretamente as técnicas e princípios de radioproteção no desenvolvimento de suas atividades profissionais.

Esse panorama se intensifica à medida que tanto o setor industrial quanto médico investem cada vez mais em equipamentos emissores de radiação ionizante. 

A busca por “bons” profissionais é uma constância, tanto de nível médio quanto superior, aptos a utilizarem equipamentos emissores de radiação ionizante, dentro das normas de segurança.

Diante desse cenário de cada vez mais profissionais expostos à radiação, seja pelo uso de equipamentos radiométricos ou pelo ambiente de trabalho, o Supervisor de Radioproteção é fundamental.

A excelência da execução de um IOE depende de seu conhecimento na área de radioproteção. 

Uma das grandes diferenças entre os profissionais que se destacam no mercado de trabalho e aqueles que apenas “trabalham para sobreviver” é a capacidade de cumprir as suas tarefas de forma objetiva e segura.

Por isso, a segurança na área de radiologia médica ou industrial se obtém pelo conhecimento da própria radiação ionizante. O Supervisor de Radioproteção é o profissional que se responsabiliza por isso.

Trata-se de uma prerrogativa da CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear). Essa comissão é quem delimita e certifica a atividade do Supervisor de Radioproteção, também chamado de Supervisor de Proteção Radiológica.

O que faz um Supervisor de Radioproteção?

O Supervisor de Radioproteção é o profissional capaz de cuidar de toda a segurança e proteção radiológica de instituições que executem trabalhos envolvendo fontes radioativas, sendo de sua responsabilidade, dentre outras funções, elaborar o Plano de Radioproteção.

De forma resumida, as responsabilidades de um Supervisor de Radioproteção ou Proteção Radiológica são:

  • implementar e orientar o Serviço de Radioproteção;
  • assessorar e informar ao Titular da Instalação sobre assuntos relativos à radioproteção;
  • fazer cumprir as normas e recomendações da CNEN bem como o Plano de Radioproteção ;
  • treinar, reciclar, orientar e avaliar a equipe do Serviço de Radioproteção e demais IOE envolvidos com fontes de radiação;
  • designar um substituto capacitado e qualificado em seus impedimentos.

A CNEN estabelece que os deveres de um supervisor de radioproteção correspondem às seguintes atividades:

  • Manter sob controle, em conformidade com requisitos de normas específicas e condições autorizadas pela CNEN: as fontes de radiação; a liberação de efluentes e os rejeitos radioativos; as condições de proteção radiológica dos indivíduos ocupacionalmente expostos e do público; as áreas supervisionadas e controladas; e os equipamentos de radioproteção e monitoração da radiação;
  • Manter o titular da instalação informado sobre eventos relevantes relativos à segurança e radioproteção;
  • Comunicar imediatamente ao titular da instalação a ocorrência de irregularidades constatadas com fontes de radiação e as ações necessárias para garantir a proteção radiológica da instalação ou do serviço, em cumprimento às normas da CNEN, bem como manter registro dessa comunicação;
  • Treinar, orientar e avaliar o desempenho dos indivíduos ocupacionalmente expostos, sob o ponto de vista de segurança nuclear ou radiológica e proteção radiológica;
  • Atuar em situações de emergência nuclear ou radiológica, de acordo com o previsto no plano de emergência, investigando e implementando as ações corretivas e preventivas aplicáveis;
  • Estabelecer por escrito, manter atualizado e verificar a aplicação do plano de proteção radiológica da instalação, bem como dos planos e procedimentos para o uso, manuseio, acondicionamento, transporte e armazenamento de fontes de radiação;
  • Estabelecer, avaliar e manter atualizados e disponíveis para verificação os registros e indicadores referentes ao serviço de proteção radiológica da instalação;
  • Manter-se atualizado sobre conceitos e tecnologias relacionados à segurança nuclear ou radiológica, à radioproteção e aos regulamentos aplicáveis;
  • Comunicar à CNEN, no prazo máximo de trinta dias, seu desligamento de qualquer instalação ou serviço de transporte ou demais serviços onde atue como supervisor de proteção radiológica.

Como se tornar um Supervisor de Radioproteção?

Para fazer jus à certificação como Supervisor de Radioproteção em uma determinada área de atuação, o candidato deve atender aos requisitos previstos na Norma CNEN NN 7.01.

Os procedimentos para comprovação dos requisitos, bem como para inscrição nos exames de certificação da qualificação de supervisores de radioproteção são apresentados no Manual do Candidato, disponível no portal da CNEN na internet.

Para obter a certificação, o candidato deve possuir diploma de nível superior de graduação (bacharel, licenciado ou tecnólogo), reconhecido pelo Ministério da Educação, compatível com a área de atuação pretendida. 

Diplomas de nível superior de graduação, expedidos por universidades estrangeiras, devem ser revalidados por uma universidade pública brasileira que tenha curso do mesmo nível e área equivalente, conforme estabelecido na Lei 9394/96, artigo 48.

As informações prestadas em relação ao candidato podem ser auditadas pela CNEN e, caso não confirmadas, a inscrição no processo de certificação será indeferida.

Outro pré-requisito que o candidato a Supervisor em Radioproteção deve ter é experiência em segurança e radioproteção na área de atuação pretendida.

A experiência deve ter sido adquirida nos cinco anos anteriores à data de solicitação da certificação. No caso de instalações radioativas, alternativamente, a experiência pode ser adquirida até um ano após a aprovação no exame da CNEN.

Nas instalações em que é obrigatória a monitoração individual, o candidato deve apresentar o relatório de dose correspondente ao período em que adquiriu a experiência.

Além disso, o tempo de experiência deve ser comprovado mediante declaração do titular, bem como do Supervisor de Radioproteção, na área de atuação pretendida, da instalação ou serviço onde a experiência foi adquirida.

No caso de usinas nucleoelétricas, o candidato deve ainda comprovar:

  • Treinamento nas seguintes áreas: tópicos avançados de radioproteção; programa de otimização ALARA (tão baixo quanto razoavelmente exequível); sistemas básicos de usinas nucleares; operação de equipamentos de monitoração; trabalhos de parada para recarga; plano de emergência; avaliação e mitigação de acidentes;
  • Experiência em atividades de segurança e radioproteção durante duas paradas para recarga de cada usina em que irá atuar, de acordo com programa de treinamento pré-estabelecido.

No caso de instalações do Ciclo do Combustível Nuclear (Usina de Enriquecimento Isotópico, Usina de Fabricação de Elemento Combustível, Instalação de Processamento Físico e Químico de Materiais Irradiados, Mina e Usina de Beneficiamento Físico e Químico de Urânio e Tório e Usina de Produção de UF4 e UF6), o candidato deve comprovar previamente experiência em segurança e radioproteção durante a operação da instalação em que irá atuar.

Preenchido todos os requisitos elencados de acordo com a necessidade apresentada, o candidato está apto para a próxima etapa.

Como obter o Certificado de Supervisor de Radioproteção

Para emissão do Certificado de Supervisor de Proteção Radiológica realizada pela CNEN, o candidato deve ser aprovado em uma prova aplicada pela própria Comissão.

O exame de certificação é constituído por provas de caráter eliminatório e seus programas são apresentados no Manual do Candidato, disponível no portal da CNEN na internet.

De acordo com a área de atuação que o candidato queira desenvolver, 3 tipos de provas podem ser apresentadas:

  • Prova 1: prova escrita sobre aspectos gerais de proteção radiológica e segurança nuclear e radiológica;
  • Prova 2: prova escrita sobre licenciamento, proteção radiológica e segurança nuclear e radiológica, abrangendo tópicos da área de atuação específica; 
  • Prova 3: prova de conhecimentos práticos, podendo ser escrita ou oral, abrangendo assuntos específicos das seguintes áreas de atuação: Mineração e Usina de Beneficiamento de Físico e Químico de U e Th; Usina de Produção de UF4 e UF6; Usina de Enriquecimento Isotópico; Usina de Fabricação de Elemento Combustível; Processamento Físico e Químico de Materiais Irradiados; Irradiador Industrial e Instalação de Gamagrafia Industrial e Radiografia Industrial com Equipamentos Geradores de Raios-X (V> 600 kV).

São considerados aprovados no exame de certificação os candidatos que obtiverem, numa escala de 0 (zero) a 10 (dez), nota igual ou superior a 7,0 (sete) em cada uma das provas exigidas.

A cada ano, só poderá realizar a prova específica o candidato que for aprovado na prova geral correspondente daquele mesmo ano.

Os resultados do exame de certificação são publicados no portal eletrônico da CNEN. Em caso de recursos, estes devem ser encaminhados ao Comitê de Certificação da Qualificação de Supervisores de Proteção Radiológica da Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear da CNEN, no prazo estabelecido no cronograma do exame divulgado no portal da CNEN.

Os recursos serão apreciados pelas respectivas bancas examinadoras e os resultados desta apreciação serão divulgados no portal da CNEN na internet.

Caso o supervisor de proteção radiológica queira obter a certificação em outra área de atuação, deve realizar os exames de certificação para a área de atuação pretendida e comprovar o atendimento aos demais requisitos da Norma CNEN NN 7.01.

Quanto à emissão e validade do certificado de qualificação de Supervisor de Proteção Radiológica, o fornecido será feito aos candidatos que atenderem aos requisitos estabelecidos pela normativa específica da CNEN, sendo válido por cinco anos.

A relação dos supervisores de radioproteção certificados, a cada exame de certificação, é divulgada no portal da CNEN na internet: www.cnen.gov.br.

Conclusão

O Supervisor de Radioproteção é de suma importância para as instalações que precisam lidar com radiação ionizante no dia a dia. Isso porque a radiação ionizante acarreta diversos efeitos biológicos aos indivíduos expostos a ela de acordo com a dose e a forma de resposta.

Por isso, a melhor forma de evitar os efeitos estocásticos e determinísticos da radiação ionizante no ambiente de trabalho é através de um Serviço de Radioproteção bem preparado, com a ajuda de um Supervisor de Radioproteção.

Se sua equipe de Segurança do Trabalho tem IOEs (Indivíduos Ocupacionalmente Expostos), é necessário estabelecer um Plano de Radioproteção detalhado e eficiente para que todos os profissionais expostos à radiação tenham a proteção adequada de acordo com as normas da CNEN.

Também é possível contratar empresas especializadas em Radioproteção para preparar os profissionais sob sua responsabilidade para realizarem e serem aprovados no exame de certificação para supervisores de radioproteção.

Cadastre-se na nossa newsletter e seja um especialista no assunto.